Curso de 6 meses

SDP, Síndrome de Deficiência Postural, Saber Mais, Saber Melhor,

Postura, Propriocepção, Percepção

As manifestações clínicas do SDP, Síndrome de Deficiência Postural, incluem dificuldades de aprendizagem, instabilidade corporal e dor muscular, podendo também haver situações aparentemente muito mais graves como fadiga extrema, vertigem e vómitos.  O SDP tem, então, um grande impacto na qualidade de vida dos pacientes, das suas famílias e das suas comunidades.

 

O tratamento do SDP preconizado pelo Dr. Martins da Cunha e pelo oftalmologista Dr. Orlando Alves da Silva com a técnica de Reprogramação Postural Martins da Cunha e com os Prismas Ativos, é eficaz, simples e pouco dispendioso.

SDP, para quê saber, saber mais, saber melhor?

O Dr. Henrique Martins da Cunha, que primeiro descreveu o SDP nos anos 70, referia que o SDP constitui um problema de Saúde Pública que se pode prevenir através de divulgação e educação da população em geral, e da capacitação de profissionais. O Dr. Martins da Cunha tinha como objetivo do tratamento ensinar o paciente a evitar as causas do SDP, libertando assim o paciente da dependência de tratamentos repetidos, dispendiosos e por vezes desnecessários.

 

A abordagem do Dr. Martins da Cunha é admirável pela sua simplicidade e dedicação ao paciente: prevenir, para não ter que tratar; ensinar para prevenir, para libertar.

As investigações clínicas do Dr. Martins da Cunha amplificaram-se com a colaboração do oftalmologista Dr. Orlando Alves da Silva a partir de 1977, quem desenvolveu o método pioneiro de classificação, diagnóstico e tratamento com Prismas Ativos do SDP. A prevenção continuou a ter um papel fulcral na abordagem clínica conjunta dos dois especialistas.

Para se entender a projeção das conclusões clínicas e teóricas do Dr. Martins da Cunha e do Dr. Orlando Alves da Silva, é necessário refletir sobre processos de pesquisa dinâmicos, aperfeiçoados ao longo dos anos que envolveram inicialmente centenas, e depois milhares de pacientes no maior Hospital Universitário de Portugal, o Hospital Universitário de Sta. Maria em Lisboa.

 

Discrepâncias entre teorias médicas dominantes e a realidade clínica deparada pelo Dr. Martins da Cunha e pelo Dr. Alves da Silva, obrigaram a que ambos reavaliassem os conhecimentos e praticas nas suas respetivas especialidades e embarcassem em mudanças paradigmáticas com projeção transversal a todas as especialidades médicas. Estas mudanças paradigmáticas continuam a ser abrangentes ao interpretar tanto casos clínicos como modelos teóricos da saúde humana.

 

Para aprender sobre o SDP, quer se seja um membro do público ou um profissional de saúde, de ergonomia, de educação e de outras áreas, tem que se estar consciente de mudanças paradigmáticas desconfortáveis que se vão encontrar.

 

Só assim se podem questionar conhecimentos anteriormente adquiridos, refletir para se poderem reaprender práticas e modelos teóricos, ainda hoje de vanguarda, para benefício do paciente de SDP.

 

Só assim se pode realmente aprofundar a compreensão desta área fascinante. Ignorar ou alterar as descobertas extraordinárias do Dr. Martins da Cunha e do Dr. Alves da Silva atrasa e dificulta o tratamento, afetando diretamente a qualidade de vida dos pacientes de SDP, das suas famílias, das suas comunidades e da população em geral com prejuízo da Saúde Pública.

Este curso de 6 meses permite aos participantes aprender/rever conceitos básicos sobre o SDP; questionar, desenvolver e amadurecer novos modelos teóricos e/ou práticas clínicas; comparar e contrastar o valor da abordagem terapêutica e preventiva do SDP; e contribuir para um bem público, que pertence à humanidade.

Para quem está direcionado este curso?

Qualquer área do conhecimento que tem impacto na saúde pública é divulgada e ensinada tanto aos profissionais como aos membros do público. A nossa abordagem segue esta linha. 

 

Aos profissionais que querem aprofundar os seus conhecimentos são dadas oportunidades durante todo o curso de elaborarem perguntas técnicas especificas que serão tratadas confidencialmente.

 

Aos membros do público, o nosso objetivo é comunicar os conhecimentos a vários níveis, do básico ao complexo para que todos possam desenvolver a apreciação desta área tão importante na Saúde Pública.  Há que estar ciente que serão abordados conceitos que por vezes poderão ser difíceis de acompanhar. Todas as perguntas são bem-vindas e tratadas confidencialmente.

Porquê participar?

Para além dos conhecimentos teóricos e práticos que pode adquirir ao longo destes seis meses, o objetivo é também que ao participar desenvolva uma capacidade interpretativa do SDP no contexto da sua vidas familiar, social e profissional, e como pode ser um agente de mudança da Saúde Pública.

Quem vai partilhar os conhecimentos consigo?

A Dra. Margarida Dolan, PhD é a coordenadora do curso, e com o Dr. Alves da Silva, Rucenita Queiroz e outros convidados, está empenhada em divulgar o SDP, o seu tratamento e a sua prevenção para que estes conhecimentos de tanta importância para a Saúde Pública, perdurarem para além do século XXI.

Como vai ser organizado o curso on-line?

O curso está organizado em 6 ciclos consecutivos (total 60 horas).

 

Cada ciclo tem a duração de 4 semanas (10 horas mensais) sendo constituído por:

- 2 aulas de 2 horas e 30 minutos cada, que decorrem aos sábados das 20:00-22:30 (Reino Unido)/16:00-18:30 (Brasil);

- 1 sessão de estudo independente de reflexão e elaboração de perguntas e/ou comentários (4 horas); 

- 1 sessão de avaliação da aprendizagem (1 hora).

 

O curso conta com métodos de aprendizagem on-line híbrida e interativa que incluem: aulas live ou pré-gravadas, teóricas e práticas; apreciação, análise e interpretação de casos; apreciação, análise e interpretação de outras abordagens; sessões de respostas a perguntas; estudo independente com crítica de casos; reflexão e avaliação contínua de dúvidas e de conhecimentos.

Que tópicos vão ser abordados?

Influências clínicas e origens do SDP; o Dr. Martins da Cunha e o Dr. Alves da Silva. Biomecânica, Postura e Propriocepção (como super, supra sentido) e o Sistema Proprioceptivo. Agressões posturais (baixa intensidade/longa duração). SDP e as suas manifestações clínicas: diversidade e intensidade de sintomas. Rever o sistema muscular e as contribuições fásica local/regional e tónica global/sistémica. Mudanças de paradigma do local ao global; do sensorial ao percetivo; do multissensorial ao multi-percetivo; do psico-somático ao somato-psíquico. A abordagem de diagnóstico, de terapêutica e de prevenção. Entender a diferença entre os sintomas e os sinais, e a lógica dos exames de diagnóstico.  Prismas Ativos e a RPMC, Reprogramação Postural do Dr. Martins da Cunha. O que esperar dos profissionais de saúde envolvidos no seu diagnóstico e tratamento incluindo o seu médico, e o seu ótico. Aspetos ergonómicos e como avaliá-los. O que é a Pedagogia Proprioceptiva, e como inspirar os sistemas educativos sobre a sua importância na Saúde Pública? Conselhos a dar a crianças, adultos e a outros profissionais. Glossário.

Importante

1. O custo do curso é GBP300 (por transferência bancária para o Reino Unido).

2. Para se inscrever, envie um mail para SDP1977PT@gmail.com

 

3. Note que ao inscrever-se no curso, aceita que circunstâncias imprevistas possam resultar em alterações na programação do curso. Todos os esforços serão feitos para retificar atempadamente qualquer inconveniente causado.

 

4. A coordenadora do curso e seus colaboradores têm como objetivo partilhar conhecimentos, e acompanhar o percurso de aprendizagem dos participantes. Espera-se que todos os participantes colaborem de maneira respeitosa; se não acontecer, podem ser solicitados a descontinuar o curso.  

 

5. O curso terá um certificado de aproveitamento, que requer que 100% do curso tenha sido completado (casos excecionais serão considerados individualmente).

 

6. O curso é desenvolvido e organizado no Reino Unido, e como tal, é regido pelas leis Britânicas.